Vivemos numa época de grandes transformações, de mudanças de estilos de vida, que influenciam de forma direta o modo como trabalhamos e, inclusive, como nos relacionamos com os outros. A verdade é que a mudança nos obriga a sair da nossa zona de conforto e das situações que tão bem conhecemos, para que possamos explorar novos conceitos, abordagens e pontos de vista. No entanto, este processo de transição não precisa de ser doloroso.

Muitas vezes temos o desejo de mudar o nosso comportamento perante determinada situação ou estímulo, mas continuamos a assumir uma postura estanque, seja na mudança de um estilo de vida, na gestão do stress, na adaptação a uma nova realidade, no desemprego, na mudança de residência ou ainda na adaptação a um diagnóstico de doença, como é o caso dos diabetes, do cancro e das doenças autoimunes.

Neste sentido, a saúde deve ser vista como um equilíbrio dinâmico entre diversos fatores. Todos nós fazemos parte do universo e temos como componentes integrantes a biologia, a genética, os nossos hábitos, aquilo que conseguimos entender, a forma como gerimos o stress e a ansiedade, as emoções, as relações com as pessoas e a cidade em que vivemos.
Qualquer desequilíbrio é uma porta aberta para a doença. Esse desequilíbrio, mais não é que um convite para olharmos para dentro e trabalharmos de forma positiva, conquistando assim o nosso bem-estar, na busca de uma vida com mais qualidade.

O Coaching de Saúde e Bem-Estar é um autocuidado, ao passo que o profissional desta área pode ser visto como um facilitador do diálogo interno do outro, para que possa cada vez mais descobrir quem é e cuidar de si da melhor forma. No fundo é uma segunda voz, que em conjunto com o paciente define as estratégias que melhor se adaptam às novas circunstâncias.
Cada pessoa possui o seu tempo de adaptação, pelo que o processo do Coaching é realizado em diversas sessões, tendo por base três momentos distintos:

  • A Fase de Descoberta, em que o indivíduo toma consciência de como vive a vida, sem qualquer tipo de julgamento. Através da utilização de algumas ferramentas, explora-se a forma como se vivem determinadas situações e o sentido que as mesmas têm na vida do paciente, tendo em conta que muitas vezes somos compelidos a agir de certa forma sem nos apercebermos se faz ou não algum sentido.
  • A Fase de Construção, em que se projeta o futuro desejado, bem como as estratégias e recursos que o farão chegar onde pretende, sendo que em momento algum existe o fracasso, tratando-se este de um processo de aprendizagem contínuo. À semelhança do que acontece com os atletas de competição, esta é uma forma de acompanhamento centrada no indivíduo, uma transformação na vida de cada um, segundo aquelas que são as suas crenças e valores.
  • A Fase de Sustentação, que no fundo serve o propósito de prevenção de uma recaída. Neste momento, é estabelecido um conjunto de estratégias para que o paciente possa identificar um possível retrocesso, caso o seu percurso ou atitudes se afastem dos objetivos previamente estipulados.

De entre os diversos benefícios associados ao Coaching de Saúde e Bem-Estar destacam-se a intenção de aumentar o nível de autoconfiança do paciente, proporcionando em simultâneo uma sensação de prazer, realização e capacidade de execução dos objetivos e metas propostos, de modo a atingir o nível de equilíbrio e bem-estar recomendado.

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original” – Albert Einstein

Partilhe nas redes sociais