Muitas são as preocupações que tendem a manifestar-se ao longo da vida relativamente ao estado em que o nosso corpo se encontra, sendo possível verificar situações de pessoas que se dedicam a uma rotina de exercício físico intensa sem conseguirem obter os resultados pretendidos que, por norma, estão associados à redução de efeitos como a celulite ou ainda a flacidez localizada em alguns tecidos do corpo.

A verdade é que determinadas condições como a flacidez, as estrias e a celulite requerem tratamentos especializados ao nível da estética, sendo possível reverter este tipo de efeitos para alcançar um corpo definido, aliando a estes procedimentos a prática de exercício físico, bem como uma alimentação saudável e equilibrada.

 

Quais as principais diferenças entre a celulite e a flacidez dos tecidos?

Antes de mais, é importante clarificar um pouco a noção por detrás dos conceitos de celulite e de flacidez, sendo que estes dois aspetos tendem a surgir em simultâneo, ainda que com ligeiras diferenças entre si.

A celulite não é mais do que uma expressão coloquial, utilizada para referir uma alteração ao nível da superfície da pele, composta por pequenos nódulos e depressões que se manifestam maioritariamente em regiões como as coxas, os glúteos, o abdómen e os quadris, apresentando um aspeto semelhante ao da casca de laranja.

Por outro lado, a flacidez encontra-se associada à gordura localizada, que como o nome indica, consiste numa acumulação de tecido adiposo em determinadas áreas do corpo. Isto, porque a gordura localizada tende a acumular-se em regiões onde o tecido possui uma consistência mais flácida.

As principais diferenças entre ambas verificam-se ao nível da forma, da aparência e da localização, sendo que a celulite tende a alojar-se numa camada mais superficial do tecido adiposo, enquanto que a flacidez atua a um nível mais profundo dessa mesma camada, razão pela qual os efeitos da celulite se manifestam de uma forma aparente, enquanto que a flacidez poderá não ser percetível numa primeira impressão, uma vez que não se verificam alterações circulatórias suficientes para causar alterações significativas na superfície da pele.

De facto, qualquer pessoa pode ser alvo de gordura localizada, tendo em conta que esta se encontra associada ao consumo de alimentos ricos em gordura e açúcares adicionados, levando a que o organismo crie reservas de energia através do consumo dessas substâncias, dificultando assim o combate deste tipo de condições. A reversão de aspetos como a gordura localizada exige ainda uma dieta firme, bem como a prática de muito exercício físico, forçando assim o corpo a utilizar as reservas de energia acumuladas nos tecidos.

 

Até que ponto estas condições se encontram associadas a fatores hereditários?

A hereditariedade assume também aqui alguma importância, dado que poderá existir uma predisposição genética responsável pelo surgimento a agravamento deste tipo de condições. Esta questão está ainda relacionada com o tipo de corpo de cada pessoa, sendo que as estruturas mais arredondadas, curvilíneas e femininas têm tendência a evidenciar mais aspetos como a celulite, contrariamente ao que acontece com as estruturas corporais mais retas e masculinas.

Para além destes aspetos, existe ainda o facto de as hormonas femininos estarem facilmente associados ao aparecimento deste tipo de condições, devido à possibilidade de se verificar um desequilíbrio entre os níveis de estrogénio e progesterona, aliados a outros aspetos como a retenção de líquidos ou ainda alterações ao nível da produção de hormonas das glândulas suprarrenais, podendo desencadear ou agravar os efeitos da celulite na pele, através de diversos mecanismos.

De uma forma simplificada, existe uma maior probabilidade de as mulheres acumularem mais gordura nos tecidos adiposos, contrariamente ao que se verifica com os homens.

 

De que forma se podem reverter os efeitos característicos da celulite e da flacidez?

A melhor forma de prevenir o aparecimento da celulite e flacidez dos tecidos passa por adotar um estilo de vida saudável, conseguido através de uma alimentação rica em fibras e proteínas, acompanhada da ingestão regular de água e de exercício físico constante, sendo que existem também produtos e tratamentos que contribuem não só para uma correta manutenção do sistema circulatório, como também para um aumento da firmeza e elasticidade da pele, melhorando assim o processo natural de drenagem de líquidos a nível linfático.

Neste sentido, procedimentos como a drenagem linfática, a radiofrequência, o ultrassom micro e macro focado e a aplicação de bio estimuladores podem revelar-se verdadeiros aliados no combate à celulite e flacidez dos tecidos do corpo.

 

De uma forma geral, é preciso ter em consideração o facto de que os tratamentos de condições como a celulite são contínuos, uma vez que este é também por si só continua e progressiva, pelo que os cuidados com a pele e com a alimentação deverão ser uma constante na sua rotina, para que consiga obter os resultados que tanto ambiciona.

Partilhe nas redes sociais