Os primeiros sinais de envelhecimento tendem a manifestar-se na superfície da pele por volta dos 25 anos, sendo que num primeiro momento surgem as rídulas, que com o passar do tempo dão lugar às rugas, sem esquecer a perda de aspetos como o volume e a densidade do rosto.

Por norma, este processo de envelhecimento encontra-se associado a uma diversidade de motivos que podem ou não ser evitados, lembrando que o envelhecimento é sinal de que a idade avança e nada há a fazer quanto a esse aspeto. A boa notícia é que existem também outros fatores que podem facilmente ser controlados, de modo a prevenir e a retardar o envelhecimento celular.

Compreender o modo como os fatores internos e externos afetam a estrutura e função da sua pele é fundamental para que consiga optar de forma consciente pelos produtos e tratamentos que melhor se adaptam às suas necessidades.

 

Sinais visíveis do envelhecimento da pele

Dos inúmeros sintomas que se encontram associados ao envelhecimento da pele, como é o caso as linhas de expressão acentuadas, as manchas escuras e a presença de papos e olheiras, destacam-se três sinais que afetam a aparência do rosto de forma diferente:

  • Rugas: Como referimos há pouco, as rídulas são as primeiras a surgir em diferentes áreas do rosto, sendo também as mais fáceis de detetar. Estas, tendem a tornar-se visíveis nos cantos externos dos olhos, também conhecidas como pés de galinha, podendo ainda surgir em regiões como as maçãs do rosto. Na zona da testa, acionadas pelas expressões faciais, as rugas surgem na horizontal e tendem a tornar-se mais profundas com o passar do tempo. Por fim, as rugas mais profundas são formadas na região entre o nariz e a boca, sendo facilmente associadas à perda de volume e flacidez da pele.
  • Perda de volume: Por norma, a perda de volume surge associada à flacidez do rosto, resultando numa perda visível dos contornos do mesmo, manifestada fundamentalmente na zona do pescoço. Contrariamente ao que sucede com as rugas ou perda de densidade, a perda de volume altera as formas do rosto, podendo atribuir ao rosto uma aparência mais triste ou stressada.
  • Perda de densidade: Este aspeto tende a surgir em mulheres adultas, após a menopausa, manifestando-se na superfície como uma pele mais fina e frágil, afetando assim todo o rosto. Podendo este fator ser facilmente associado ao surgimento das rugas mais profundas da face, este é também responsável pela diminuição da luminosidade natural da pele.

 

Principais causas do envelhecimento da pele

As causas por detrás do processo de envelhecimento celular podem ser de natureza interna ou externa, sendo que as primeiras são de alguma forma vistas como inevitáveis, associadas a fatores como a idade biológica. É ela que determina as mudanças estruturais a que a nossa pele está sujeite, assim como a eficiência das funções celulares, que tendem a abandar com o passar dos anos.

Por outro lado, os fatores externos que influenciam o ritmo a que a pele envelhece encontram-se relacionados a um processo específico, o stress oxidativo, que consiste na libertação de radicais livres no corpo que resultam numa acumulação de danos causados na pele, sendo que a grande maioria possui a capacidade de danificar as estruturas de todas as células, incluído os lípidos e as proteínas.

Em circunstâncias normais, os radicais livres são neutralizados pelos antioxidantes presentes na pele. Acontece que, com o passar do tempo, a capacidade que a pele detém de reter os antioxidantes começa a diminuir, resultando na danificação de todos os componentes presentes nas células da pele, podendo este processo ser desencadeado por aspetos tão simples como o seu estilo de vida.

 

O envelhecimento ocorre em todas as camadas da pele

A verdade é que o processo de envelhecimento celular não se restringe à superfície da pele, afetando também as camadas mais profundas do rosto.

  • Epiderme: A renovação celular torna-se mais lenta e a produção de lípidos na superfície da pele sofre também uma redução, potenciando assim um rosto seco e áspero. A eficiência da pele no processo de cicatrização diminui e existe uma redução da sua função imunitária.
  • Derme: A diminuição anual de colagénio, juntamente com o declínio de elastina, conduz à desorganização do tecido dérmico, comprometendo assim a estrutura da pele e potenciando o surgimento das rugas. A redução da elasticidade torna a pele mais propensa a danos e quebras capilares, enquanto a redução do fluxo sanguíneo diminui a presença de oxigénio e nutrientes na superfície, levando a uma diminuição da luminosidade do rosto.
  • Hipoderme: A dimensão e quantidade das células de armazenamento de lípidos na camada adiposa diminui, refletindo-se numa acentuada perda de volume que pode conduzir a uma menor capacidade de cicatrização em zonas como as bochechas e as rugas profundas.

 

Como combater o envelhecimento precoce

Existem formas de contornar e até mesmo retardar os efeitos característicos do envelhecimento da pele, pelo que damos agora a conhecer algumas das práticas a adotar para a manutenção de uma pele jovem e cuidada.

  • Utilize protetor solar diariamente – o uso de protetor solar com elevado índice de proteção é fundamental para uma correta proteção da pele contra as ações dos raios UV, evitando não só o envelhecimento da pele, como também o surgimento de outras patologias mais complicadas. O ideal será optar por um filtro que corresponda ao seu tipo de pele, de modo a evitar outros efeitos indesejados, como é o caso do acne.
  • Limpe diariamente a pele – este ritual ajuda a manter a pele macia, revigorada e livre de impurezas. Caso exista maquilhagem presente no rosto, é fundamental que proceda à sua remoção antes de deitar, com produtos específicos para que a pele receba o cuidado que tanto precisa, impedindo assim danos causados pelo acúmulo dos produtos na pele. A esfoliação periódica do rosto é outra forma de auxiliar o processo de renovação celular, eliminando assim todos os vestígios de pele morta.
  • Insira alimentos antioxidantes na sua dieta – os cuidados para com a alimentação são fundamentais para a manutenção de uma pele jovem, pelo que alimentos ricos em vitamina C, vitamina E, selênio e zinco, facilmente encontrados em legumes, verduras e frutas, ajudam a retardar o envelhecimento da pele e a manter o seu organismo saudável.
  • Invista em tratamentos de pele – as técnicas de tratamentos de pele orientados por uma esteticista são uma excelente forma de combater os sinais do envelhecimento e manter uma aparência mais jovem e luminosa, uma vez que estes possuem a capacidade de reduzir as linhas de expressão e eliminar as manchas da pele.
  • Cultive hábitos saudáveis – esta comprovado que um estilo de vida livre de hábitos como o tabaco, o consumo excessivo de álcool, o sedentarismo, o stress e a falta de descanso prejudicam a aparência da pele, sendo por isso fundamental reverter este tipo de atitudes para que os tecidos da pele se mantenham saudáveis, nutridos e hidratados. Neste sentido, é recomendada a prática regular de exercício físico, a ingestão de pelo menos 1,5 litros de água por dia, a meditação como forma de combater o stress, e ainda uma rotina de sono equilibrada. Para além disso, deverá optar por realizar check-ups anuais junto de um profissional, de modo a controlar eventuais desordens hormonais ou carências alimentares que se possam verificar.

 

De um modo simples, é possível verificar que o envelhecimento celular, ainda que não possa ser travado, pode sim ser retardado através de um conjunto de práticas regulares que o ajudarão a manter a saúde do seu organismo em dia, levando a que o equilíbrio e bem-estar interior se manifeste também no exterior, através de uma pele bonita, luminosa e saudável.

Em caso de dúvida ou sempre que sentir essa necessidade, deverá recorrer ao acompanhamento por parte de um especialista, que o ajudará a lidar com condições mais específicas que possam surgir na sua pele.

Partilhe nas redes sociais